quinta-feira, 31 de julho de 2008

Resultados Sondagem sobre eventual criação de um Campeonato Nacional de Verão de Beach-Pólo

Terminada mais uma sondagem, a última antes das "férias de Verão", é chegada a altura de divulgar os resultados.

Com a participação a evidenciar o efeito "férias", os resultados à questão "Acha que deveria ser criado um Campeonato Nacional de Verão de Beach-polo?" foram:
  1. Com 42% dos votos ficaram todos aqueles que acham que Sim, que deveria ser criado, com o apoio da FPN e das Associações Regionais.
  2. Com 26% dos votos estão todos aqueles que acham que Não deveria ser criado, mas que poderia ser feito um trabalho com as Associações Regionais para se criarem Torneios de Verão.
  3. Em terceiro lugar, com 21% de votos, ficaram todos aqueles que consideraram que para a nossa realidade Não é relevante a criação deste Campeonato.
  4. Finalmente, com 5% dos votos cada, ficaram os que consideraram que "Sim" e os que consideraram que "Sim, mas com uma estrutura sólida e calendários adequados".
E é tudo em termos de sondagens por agora, até porque a maioria das pessoas está de férias.
Obrigada a todos os que participaram (e participam) nas sondagens e continuo a agradecer as vossas propostas de temas.
Boas Férias!

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Reuniões de Arbitragem

Junto um comentário enviado ao post que escrevi, pedindo a vossa opinião sobre as reuniões a que assistiram, bem como os assuntos debatidos nessas reuniões, em função de não ter podido estar presente.
Pelo seu tamanho, preferi colocar como um post e deixar que comentem, pois não tendo estado presente não sei o que foi debatido e prefiro não dar a minha opinião até ter mais elementos.

“Qual a opinião sobre a reunião?
Honestamente, quando me desloquei à reunião em que participei pensei que iria ver um projecto estruturado, algo validado e com viabilidade que realmente tirasse a arbitragem e os árbitros do poço onde estão depois de anos de má gestão e após estes últimos anos de péssima gestão.
O meu optimismo cedo se transformou em cepticismo!
Projecto? Havia ideias que foram colocadas a debate, que se diz que se quer lançar para a próxima época, mas nada de estruturado, nada de fundamentado e acima de tudo, nada de planeado para a formação.
Projectos há muitos, inclusive li aqui algumas boas ideias e propostas de projecto – algumas delas até me pareceu estarem reflectidas naquilo que se falou e apresentou.
No entanto não há nenhum suporte físico, pois pedimos o projecto para melhor análise e nada nos foi entregue ou enviado.
A participação também foi muito pouca, sinal de desânimo e cansaço dos árbitros ou simplesmente má gestão das datas e horários?
A sensação que tive, ao sair da reunião sem metade dos assuntos da agenda bem clarificados, foi que se tratou de uma manobra política feita por uma direcção que ao longo de 4 anos não fez nada e agora quer levar estes pobres otários do pólo aquático a acreditarem que tudo vai mudar.
Fez-me pensar em Sócrates e nas suas promessas vazias de fim de mandato e de Campanha eleitoral.
Mas falando da proposta, projecto, ideia brilhante, etc.
Parece-me uma boa iniciativa, mas não consegui perceber bem os moldes em que vão aplicar, pois parece-me que vão criar mais uma elite dentro da elite.
Não é uma proposta feita para formar novos árbitros nem apoiar os árbitros nos escalões de formação.
É uma proposta em que árbitros vão formar outros árbitros e avaliar colegas enquanto actuam como duplas. E vão ser premiados recebendo mais por isso!
Não denegrindo a ideia, não consigo perceber o sentido!
Porque não fazemos as coisas simples e básicas, como se faz lá fora?
Porque insistimos em atirar areia para os olhos e inventar forma de dar dinheiro a ganhar meia dúzia de pessoas em vez de pensar em investir na formação e em avaliadores correctos e isentos!
Porque criar duplas de árbitros nacionais em vez de se apostar em criar estruturas de formação de árbitros, de captação, criar um bom sistema de delegados e avaliadores, etc.?
Não consegui perceber quais os critérios que vão reger a nomeação destes árbitros tutores, mas não me parece que tenhamos assim tantos árbitros como isso com capacidade e conhecimentos para apoiar árbitros em formação.
E aqui não podemos confundir antiguidade enquanto árbitro com capacidade de formador, mesmo como acompanhante de uma dupla!
Por outro lado, sabemos que as duplas de árbitros existem porque um só árbitro não consegue abranger todo o jogo e todas as situações. Se vamos criar duplas em que é um dos árbitros que está a formar o outro, ele não vai ter de estar atento a todo o jogo? Isto é, não vai ter de observar a sua zona de jogo e, ao mesmo tempo, a do seu colega/formando?
Será esta a melhor opção?
As duplas de arbitragem existem para que os árbitros se apoiem mutuamente, independentemente de terem mais ou menos experiência e/ou antiguidade!
É isso que se chama espírito de equipa e de árbitro – e não é com dinheiro que se ganha!
Se atendermos ao facto de termos árbitros nacionais que nem um ano estiveram como distritais ou regionais e mal apitam jogos de pólo aquático, será que a opção deve ser esta?!
Porque não criamos uma estrutura de delegados e formadores externos à arbitragem e ao quadro de árbitros que possa efectivamente acompanhar e dar apoio a novos árbitros e árbitros em formação, sem interferir na atenção que cada elemento da dupla deve prestar ao jogo?
Porque não aplicamos o que está regulamentado há anos e criamos categorias distintas de árbitros e exames anuais para passagem á categoria superior.
A proposta apresentada, sendo interessante, não vai ajudar a melhorar o quadro actual de árbitros nacionais ou no aumento do número de árbitros.
Isso não vai acontecer pagando mais a uns e menos a outros, ou lutando para estar no escalão superior. Não vamos criar novas elites na arbitragem!
Esse dinheiro deveria se usado para pagar a delegados credenciados, pois eles sim, de forma isenta e idónea podem avaliar os árbitros.
Deveria e poderia ser aplicado em reuniões regulares com os delegados e avaliadores, na uniformização de critérios, em acções de formação e captação, não em premiar alguns pelo trabalho que é de todos e para o qual se disponibilizaram!
Gostei da ideia de formar as pessoas nos clubes, para que apoiem nas mesas dos jogos.
Inclusive sei que houve já alguns clubes que pediram a uma formadora de uma Associação Regional, com indiscutível experiência de oficial de mesa, que desse formação aos seus atletas.
Sendo uma ideia antiga, já várias vezes proposta, pode criar a união e ligação entra a arbitragem e os clubes de que tanto se fala.
Resta saber quem serão os formadores para estas acções, ressalvando que está comprovado que os árbitros dão péssimos oficiais de Mesa, como se pode ver nos inúmeros eventos Nacionais e Internacionais em que a mesa é feita por árbitros em vez de Oficiais experimentados.
Por falar nisso, será que vamos ter esta categoria também contemplada na próxima época?
Foi tudo desta reunião.
Honestamente, vi muita parra e pouca uva.
Faltou estrutura, faltou suporte, faltou certezas.
As ideias estavam lá, mas pareceu mais um brainstorming que uma reunião com a agenda que foi enviada.
Dos pontos da agenda, não se completaram metade deles.
Devo dar os meus parabéns à FPN por ter recrutado a Helena, pois apesar de não ser da arbitragem ficou claro que sem a vinda dela nada teria sido feito e tudo continuaria na mesma.
Parabéns também aos novos blogs, que com as suas notícias vieram dar outro ânimo e outro dinamismo a esta modalidade – veja-se o exemplo de muitas das ideias aí debatidas serem agora apresentadas nesta reunião!
Apesar da sensação clara e indistinta de me estarem a comer por parvo com esta reunião e de estarem a querer fazer acreditar que depois de 4 anos de inoperância e de auto-promoção as coisas vão mudar, não posso deixar passar a oportunidade de dar os parabéns pela reunião – pelo menos fez-se uma reunião depois de 3 anos sem elas.
No final de mandato, no final da época, uma delas durante a semana e as outras em péssimas datas, mas foram feitas. Esse ponto pode marcar com um X na agenda de campanha, pois foi cumprido.
O que se seguirá?”

PAGAMENTOS ARBITRAGEM

Muito se tem dito e falado sobre os pagamentos à arbitragem na época 2007/2008.
Pelos feed-backs recebidos de algumas pessoas, este foi igualmente um dos temas mais debatidos nas reuniões de arbitragem de Julho (tema que retomarei em post posterior).
No entanto, deparo-me com uma situação que, até agora sempre encarei como sendo “lapso”, mas que pela falta de resposta às inúmeras solicitações de esclarecimentos me vejo forçada a encarar como sendo deliberada – eu não sou paga pelos jogos e torneios para que fui convocada OFICIALMENTE pela FPN!

Tenho noção (como espero que todos tenham) que a FPN deliberou não pagar a quem não está filiado (que é o meu caso).
Sendo uma decisão acertada e com a qual até concordo (em princípio), peca por não ter sido comunicada e aplicada em todo o seu rigor e extensão e desde o início da época (melhor ainda, sempre!).
Porque digo que não foi aplicada em todo o seu rigor?
Porque na época 2007/2008 (já para não falar nas anteriores) houve pelo menos 12 árbitros e oficiais não filiados a serem convocados regularmente para jogos da 1ª e 2ª divisão, e a serem pagos pelo trabalho desenvolvido nesses jogos, bem como pelas deslocações e despesas em que incorreram.
Um dos árbitros em causa apitou mesmo a final da Taça de Portugal!
Será que o faria se o informassem que não iria ser pago, nem lhe iriam pagar os jogos que apitou ao longo da época?

No início, meio da época, quando comecei a prestar um pouco mais de atenção ao que se vivia na arbitragem, tinha duas questões sobre este assunto:
Porque não se informavam os árbitros que deveriam estar filiados (apesar de ser obrigação de todos saberem os procedimentos) e porque não se informavam os mesmos árbitros que sem estarem filiados não seriam pagos pelo trabalho que estavam a desenvolver?
A primeira questão foi facilmente resolvida, pois delega-se essa função ou responsabilidade para as Associações Regionais e para os próprios árbitros e oficiais, na falta de reuniões de arbitragem nacionais em que os procedimentos são relembrados – como é feito nos países ditos “desenvolvidos” em termos de pólo aquático, como por exemplo a Espanha….
Desta forma “limpam-se”as mãos dessa responsabilidade e delega-se nas pessoas ou entidades.
No entanto, de acordo com os regulamentos, os árbitros não filiados não podem ser convocados para arbitrar!!!
Mas foram ao longo de toda a época!!!
Assiste-se aqui a um contra-senso, igualmente fácil de explicar.
Se não fossem convocados, não haveria árbitros suficientes para “tapar buracos” e não se poderiam realizar as competições (que, mesmo assim, sabemos em que estado decorreram…).
Mas então, porque não se avisam esses árbitros, no momento da sua convocação (ou repetidas convocações), que deveriam estar filiados?
Não sei!!!
Da mesma forma que não sei explicar como se faz um curso de árbitros e as pessoas formadas não sabem que tem de se filiar na sua Associação para que ela os filie na Federação. Acreditam que por terem feito o curso (dado pelo vogal do Conselho de Arbitragem e Vice-Presidente da FPN) e por terem sido aprovados e serem convocados, estão filiados!
Que se diga que foi dito e que uma dessas pessoa não saiba por não ter ouvido, tudo bem, mas todos os presentes na formação?!
Dada por elementos da FPN (pois com esta direcção passaram a ser os únicos formadores reconhecidos nacionalmente)?
Parece-me um pouco estranho e demasiado rebuscado.
E ainda me parece mais estranho dar-se uma formação de árbitros e não se falar nos regulamentos de arbitragem, nem nos direitos e deveres dos árbitros, como parece ter sido o caso, pelo menos em duas delas!!!
Mas sabendo disto, não estranho que os árbitros nacionais não tenham a noção de que devem ser filiados, pois se nem os recém-formados têm essa informação.

Todo este debate/desabafo leva à segunda questão, que é saber porque não se informavam os árbitros que não seriam pagos se não se filiassem!
Novamente tenho alguma dificuldade em encontrar uma resposta concreta.
Dizem que não se tem que informar pois os árbitros devem saber que não sendo filiados não recebem… mas assim entramos novamente em conflito com o definido nos regulamentos, que especifica claramente que não podem ser convocados!
Será que é por uma questão de poupanças, pois assim estamos a chamar árbitros para jogos e depois poupamos dinheiro não lhes pagando?
Não me parece ser o caso (excepção feita, aparentemente, ao meu caso), pois a maioria dos árbitros não filiados foi sempre atempadamente paga – até porque, eventualmente, necessitavam que eles continuassem a apitar!!!
Então porque não houve uma confirmação e comunicação oficial de que quem não estava filiado não recebia?
Porque é sempre uma informação verbal, um boato, um rumor não confirmado oficialmente?
Será porque era assumir que se estavam constantemente a violar os regulamentos convocando árbitros e oficiais não filiados para jogos nacionais?
Não teria sido mais fácil falar com as pessoas, explicar a situação e partir de uma base sã?
É preciso chegar uma nova pessoa à Federação, quase no final da época, para colocar ordem na casa?
É preciso fazer isso sem comunicar, à revelia das pessoas e depois de se ter conseguido realizar as provas?!

No fim de tudo isto, continuo sem conseguir uma resposta quer às minhas dúvidas iniciais, quer à minha situação… e as dívidas (montantes não pagos pela federação) foram acumulando.

Depois de ter sido repetidamente convocada para eventos e jogos nacionais por uma pessoa que sabia claramente que não estava filiada, nem o iria fazer (por motivos de força maior), depois de ter recebido alguns jogos ao longo da época, depois de me ter sido confirmado por escrito e verbalmente que me iriam ser feitos os pagamentos em causa… continuo sem receber e sem ser dada indicação de pagamento à FPN, que deve encerrar as contas desta época até ao final de Julho!!!
Será que a culpa é minha, pois já devia saber “o que a casa gasta”, depois de me ter sido confirmado por escrito o pagamento como oficial dos jogos realizados no Europeu de 2005 (em que fiz locução de todos os jogos e colaborei mesmo em alguns como oficial, andei com árbitros e delegados, etc)… ainda não vi a cor do dinheiro (e era “uma fortuna”… 5€ por jogo!!!).

A minha dúvida:
Quantos mais árbitros não filiados estão a viver esta situação?

É normal, um lapso ou propositado que o Torneio de Felgueiras tenha já sido pago a todos os oficiais presentes menos a mim!
Quantos ainda têm em divida valores de jogos realizados fora da sua zona de residência?

É que é por estas e outras situações que eu desisti de ser árbitro ou oficial e muita gente se afastou!!!
Mas gostava de me poder afastar com as minhas contas regularizadas, pois da mesma forma que sempre me ofereci e colaborei voluntariamente com clubes e associações (e inclusive, apesar de um pouco “forçada”, com a FPN em torneios eventos e no mundial), organizei eventos e deixei as contas saldadas, sempre acreditei na boa-fé das pessoas que comandam o destino do pólo aquático e acreditei que deixavam que uma pessoa se desligasse com a “casa arrumada e as contas saldadas”.
Gostava de acreditar que os critérios são claros e iguais para todos, havendo justiça e aplicando-se o regulamento, mas se não for o caso (como parece estar a ser provado) então expliquem quais os critérios que fazem com que “uns sejam filhos e outros enteados”!

Alguém me explica o que se passa, para que possa saber o que fazer para recuperar, pelo menos, o dinheiro que gastei em deslocações, sem falar de todo o investimento pessoal e profissional em jogos e eventos – e que me tinha sido garantido que iria ser pago?!!!

Resultados Sondagem sobre a existência de 2 divisões nas categorias Juniores e Juvenis

Com as minhas desculpas pelo atraso, aqui ficam os resultados da Sondagem "Com o número de clubes com equipas juniores e juvenis que existem actualmente, acha que se devem criar 2 divisões ou manter o sistema de torneios regionais de apuramento para a fase nacional?":
  1. Com 54% dos votos e uma maioria indiscutível ficaram aqueles que acham que deveriam existir 2 divisões em ambas as categorias
  2. Com 20% dos votos ficaram os que consideram que não devem existir 2 divisões. O formato de Torneios Regionais adequa-se às categorias em causa.
  3. Com 12% dos votos ficaram os que não acham que devem existir 2 divisões pois não há equipas suficientes nem estrutura para isso.
  4. Finalmente, em último lugar, com, 4% de votos cada, ficaram os que tem outra opinião que expressarão por comentário quando saírem os resultados, os que acham que deveriam existir 2 divisões só nos juniores e os que acham que deveriam existir 2 divisões só nos juvenis.
Com toda a polémica que tem existido em torno da Fase Final dos juvenis... fica aqui uma pequena amostra da opinião das pessoas...

Se calhar está na altura de se avançar para um novo modelo de Campeonatos... apostando nos escalões mais jovens e de formação para criar competitividade e maior número de jogos...

sábado, 19 de julho de 2008

Circular FPN PA nº 49 e nº 50 07/08

Já estão disponíveis no site da FPN as circulares acima referidas, com os seguintes assuntos:

CIRCULAR PA FPN Nº 49 07/08

  1. Disciplina
  2. Estágios da Selecção Nacional Júnior Feminina
CIRCULAR PA FPN Nº 50 07/08

  1. Disciplina
    Onde se informa sobre o processo de averiguações relativo aos incidentes ocorridos na final da Taça de Portugal Masculina instaurado pelo Conselho de Disciplina da FPN.

Podem visualizar estas circulares no site da FPN / Informação / Press / Circulares, ou carregando no link de cada circular.

Comunicado FPN nº 20-08

Já está disponível no site da FPN o comunicado acima referido, com os seguintes assuntos:

  1. Natação Pura
  2. Pólo Aquático
    Resultados do Torneio de Loulé
  3. Nova Filiação
  4. Formação
  5. Recordes Homologados
  6. Diversos
    XII Mestrado em Gestão do Desporto
Para visualizaram este comunicado poderão carregar na imagem com o logótipo da FPN, ou aceder através do site FPN (www.fpnatacao.pt) e depois irem a Informação / Press / Comunicados.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Árbitros LEN - Málaga 2008

Eis aqui uma apresentação sobre os árbitros presentes nestes Campeonatos Europeus de Pólo Aquático Málaga 2008.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Resultados Sondagem sobre a possibilidade de se criar uma Terceira Divisão

De regresso às lides, eis aqui os resultados da Sondagem que tinha como tema em debate "Acha que se devia criar uma terceira divisao, para os clubes mais pequenos terem mais possibilidades de jogar?"

  • Nesta questão a grande maioria (47%) respondeu que achava que "sim, mas com uma boa estrutura e organização".
  • Em segundo lugar ficaram (28%) os que acham que "só se houver número suficiente de clubes interessados (mínimo de 8) para suportar os custos inerentes".
  • Em terceiro lugar (18%) ficaram os que acham, pura e simplesmente, que "sim".
  • Finalmente, em último lugar (com 3.5% cada), ficaram os que achavam que "Nao, eles devem organizar encontros particulares e locais até terem nível para jogar na 2ª divisao" e os que responderam que "Nao, deve ser da responsabilidade das Associaçoes e nao um assunto nacional".
Esta sondagem reflecte o pedido de algumas pessoas, que acreditam que com uma terceira divisão se daria mais competitividade e aqueles clubes que só fazem 2 ou 3 jogos por época (liguilhas ou apuramentos) poderiam ter um Campeonato próprio, desenvolvendo-se e estimulando o crescimento da modalidade.

E essa opinião aparece reflectida nas opiniões e nos votos desta sondagem.

Mais uma vez, como sempre, obrigada pela colaboraçao e participação e continuem a votar e a enviar as vossas sugestões.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Circulares FPN PA nº 47 e 48 07/08

Já estão disponíveis no site da FPN as circulares acima referidas.

Podem encontrar através do site FPN / Informação / Press / Circulares, ou carregando nos links abaixo indicados.

  1. Disciplina
  2. Estágio Nacional Masculino (93 e mais novos) - Zona Norte
  3. Taça de Portugal Masculina
  4. Taça de Portugal Feminina
  1. Estágios da Selecção Nacional Júnior Feminina
  2. Taça de Portugal Masculina (resultados)
  3. Taça de Portugal Feminina (resultados)

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Reunioes de Arbitragem

Como estou em Málaga, é com muita pena que não poderei participar em nenhuma das reuniões agendadas.

Mas, como sabem, já aqui fiz várias propostas e enviei mesmo algumas delas para a Federação (basta relembrar que o ficheiro da análise foi trabalhado a partir do ficheiro de base que a Federação tinha começado a trabalhar).
Como tal, gostava que deixassem aqui a vossa opinião sobre os assuntos debatidos, sobre as reuniões a que assistiram, sobre os oradores que estiveram presentes e qual o sentimento com que ficaram.

Tenho a esperança que estas reuniões sejam o início de uma nova era na arbitragem e no pólo aquático e espero, sinceramente, que não seja mais um caso em que vou ter de ouvir dos meus amigos e conhecidos "Mas quando é que deixas de acreditar no Pai Natal?".

Para relembrar, eis a ordem de trabalhos enviada pela Federação:
1- Apresentação;
2- Caracterização da actual situação da Arbitragem da modalidade;
5- Apresentação de dados relativos a 2007/2008;
6- Proposta organizacional do CNA/FPN


Não sei se entretanto nas reuniões se debaterá algum ponto 3 e 4 que aqui não constavam, mas aguardo o vosso feed-back.
Obrigada pela colaboração e pelo trabalho em conjunto para se fazer evoluir a modalidade e a arbitragem!!!

Comunicado nº 45 e 46 07-08 do SCS

Com estas coisas de Torneios e Europeus quase esquecia de publicar os últimos comunicados do SCS.

Aqui vos deixo o comunicado da semana passada, bem como o último comunicado, que poderão igualmente encontrar na barra lateral esquerda, na zona de comunicados das equipas.

Para visualizar o último comunicado (46) poderão igualmente carregar na imagem com o logótipo do Salgueiros.

  1. Resultado Jogo Portinado vs Salgueiros
  1. Convocatória Jogo Salgueiros vs Amadora
  2. Antevisão Jogo Salgueiros vs Amadora

MÁLAGA

Pequena pausa no blog?

Como fui convidada pela organização dos Campeonatos Europeus para ir dar uma "ajuda" com a locução do Europeu, o blog vai ter um pouco menos de actualizações até ao final do Europeu.

No entanto farei os possíveis por continuar a passar, pelo menos para colocar as informações que for recebendo dos clubes e ... pontos da situação.

Até Málaga (para os que forem) e até dia 15, para os que estão noutros projectos!

Convocatória FINAL TAÇA DE PORTUGAL

Como estou longe do meu PC, não consigo colocar a versão enviada pela FPN, mas não queria deixar de colocar as convocatórias para as FINAIS DA TAÇA DE PORTUGAL, que se realizam em Faro este dia 5 de Julho (às 15h a feminina e às 16.30 a masculina).

ÁRBITROS CONVOCADOS:
Luís Machado
Eurico Silva

OFICIAIS DE MESA:
Eduardo Joaquim
Cláudia Santos
João Machado

JUÍZES DE GOLO:
..., ..., ... (esta foi um pequeno lapso meu, pois achava que como era final da Taça e uma grande festa de pólo aquático, talvez existissem juízes de golo, aquela história da imagem para o público que for ver, do desporto, etc...)

ERRATA

Pois é... isto de não ter a história do Pólo Aquático actualizada pode criar estas situações.

Quando falei do Torneio de Évora e disse que era o mais antigo Torneio QUE ME LEMBRAVA, houve logo quem me corrigisse e como tal aqui fica a reposição da verdade histórica.
Évora, apesar de ser o único sem interrupções, é apenas o 2º mais antigo Torneio de Pólo Aquático, pois o mais antigo é o Torneio de Natal do CDUP, que celebra em 2008 30 anos!

Aliás, segundo me informaram, é devido às tradições do clube, à sua história, antiguidade, pergaminhos e ... ao Torneio, que a Liberty decidiu associar-se ao CDUP.

Aos atletas e dirigentes as minhas desculpas pelo "lapso" e fica feita a correcção, até porque participei nele várias vezes como atleta (mas não desde a primeira edição... ufa!).

O Torneio mais antigo de Portugal é o do CDUP!!!