quinta-feira, 27 de novembro de 2008

ANNP - Sorteio de Cadetes e Mini-Pólo

Sorteios de cadetes e mini-pólo na terça-feira


Os sorteios dos Campeonatos Regionais de cadetes e mini-pólo (marcação dos encontros) realizam-se dia 2 de Dezembro, pelas 22h00, na sede da Associação de Natação do Norte de Portugal.
Notícia in: www.annp.pt

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

FPN - Circular PA nº07 08/09

Circular PA nº 07 08-09

Get your own at Scribd or explore others: Sport

Quadro Classificação Seniores Masculinos 1.ª Divisão
Quadro Classificação Seniores Femininos

Acção de Formação - Observação e Análise do jogo

Acção de formação promovida pela FPN e integrada no curso de 2º nível de treinadores de pólo aquático.
Para informações e inscrições contactar a FPN.
Flyer formação observação jogo
Get your own at Scribd or explore others: Sport

O Norte Desportivo - Árbitros receberam incentivo à revelia da direcção

Departamento Técnico sabia
Árbitros receberam incentivo à revelia da Direcção

A tabela de arbitragem, do anterior CNA, nunca chegou a ser apresentada à Direcção da Federação Portuguesa de Natação.

Os árbitros e oficiais de mesa convocados para os jogos de pólo aquático da Supertaça Carlos Meinêdo receberam subsídios e incentivos baseados numa tabela que não foi aprovada pela Direcção.
Segundo o que o ND apurou, a suposta nova tabela, acordada numa reunião realizada em Março entre Luís Santos, anterior vogal do Conselho Nacional de Arbitragem, Paulo Ramos, anterior vice-presidente da Direcção, Pedro Brandão e Helena Barros, ambos do Departamento Técnico, nunca chegou a ser apresentada ao órgão directivo. No início da nova época, os mesmos intervenientes apresentaram a nova tabela nas várias reuniões regionais e nacionais de árbitros.
As auditorias revelaram que foram encontradas “incongruências ao nível de subsídios atribuídos à arbitragem”, referiu o «vice» Nuno Lobo, em comunicado. “Compromissos anteriormente assumidos referiam aumento ao nível de incentivos mas nunca tinham sido aprovados em reunião de direcção, pelo que não podem ter qualquer validade”, explicou, acrescentando que “os subsídios devem respeitar a tabela que vigorava anteriormente”.
O ND sabe que, a 16 de Dezembro, se realizará uma reunião para aprovar uma nova tabela sem incentivos e com quilometragem de deslocação corrigida.
Joaquim Sousa - joaquim.sousa@onortedesportivo.com

Arbitragem no Mini-Pólo

A seguir se transcreve a informação recebida da Paula Cruz, referente a acção a ser desenvolvida pela A.N.Madeira (carregar na imagem para melhor visualização).

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Eurico Silva na Escola de Árbitro Internacionais LEN

Aqui fica uma foto do Eurico Silva, durante a sua estadia na Escola de Árbitros Internacionais LEN, em Dunaujvaros - Hungria, acompanhado pelos árbitros espanhóis Xavier Bunch e Jaume Teixidó.

Foto in Turbogal

domingo, 16 de novembro de 2008

Categorias de Árbitros

Continuando na minha pesquisa para tentar dar resposta aos comentários aqui colocados, pesquisei novamente no site FPN o Quadro Nacional de Árbitros, de acordo com os artigos 12º e 13º do Anexo ao Regulamento de Arbitragem Disciplina de Pólo Aquático:


Artigo 12º
Quadro Nacional de Árbitros

O Quadro Nacional será constituído por um número de árbitros a designar pelo Conselho Nacional de Arbitragem, o qual será o suporte das nomeações para todas as provas oficiais.


Artigo 13º

Nomeações

1 - Os árbitros constantes do Quadro Nacional de árbitros disponível para as competições oficiais, serão nomeados de acordo com os critérios referidos nos números seguintes.

2 - O Conselho Nacional de Arbitragem, no âmbito das suas competências, procederá, nos termos definidos na alínea l) do art. 6º a distribuição dos árbitros pelas seguintes categorias:

a) Categoria A: Árbitros Internacionais e Árbitros Nacionais A;

b) Categoria B: Árbitros Nacionais B e Árbitros Regionais.

3 - Em cada jornada da primeira divisão, serão, preferencialmente, designados para dirigir os jogos, árbitros das categorias A.

4 - O Conselho Nacional de Arbitragem pode retirar, temporariamente, do quadro de nomeações, os árbitros que tenham cometido violações técnicas ou disciplinares, devidamente comprovados.

5- A designação dos árbitros para a direcção dos jogos não tem apelo.

6 - As nomeações dos árbitros serão tornadas públicas, através dos serviços administrativos da FPN, no dia da respectiva nomeação.


Como tinha sido anunciado na reunião nacional de árbitros, realizada em Setembro, que esse quadro seria publicado, decidi pesquisar todo o site FPN, mas não o encontrei.
Não vos posso dizer se existe ou não, mas posso esclarecer o que diz o Regulamento sobre as categorias de árbitros e que poderá, pelo que consigo perceber, ajudar a esclarecer o porquê de ter sido o Eurico Silva o seleccionado para o curso de internacional:

ÁRBITROS E OFICIAIS DE MESA
SECÇÃO I

(CATEGORIAS DE ÁRBITROS)


Artigo 1º

Competências e Categorias

1 - Os árbitros, cuja missão é dirigir as competições de Pólo Aquático, cumprindo e fazendo cumprir as regras oficiais do jogo que regulam a actividade desportiva, zelando pelo cumprimento disciplinar dos diversos agentes desportivos e exercendo os demais actos inerentes a sua função específica, agrupam-se em quadros e por categorias, assim mencionados:

a) Oficial de mesa

b) Árbitro regional

c) Árbitro nacional
d) Árbitro nacional a
e) Árbitro internacional
2 - Os árbitros, quando praticantes, não podem arbitrar a competição em que estão inscritos.

3 - O árbitro, quando no exercício das suas funções, pela sua conduta, competência e dedicação, aferida em função dos critérios de avaliação definidos pelo Conselho de Arbitragem, poderá ser promovido, antecipadamente, ao escalão imediatamente superior após prestar as provas necessárias para tal.

Artigo 2º

Oficial de Mesa

É oficial de mesa, todo o individuo maior de 16 anos e que frequentou o curso básico de arbitragem, obtendo, pelo menos, 75% de pontos, num total de 100%.


Artigo 3º
Árbitro Regional

1 - É árbitro regional, todo o indivíduo que frequentou o curso de arbitragem, obtendo, pelo menos, 75% de pontos, num total de 100%.
2 - Terá que cumprir um ano neste nível.

3 - Será indicado ao Conselho Nacional de Arbitragem, pelo seu Conselho Regional de Arbitragem, para efectuar provas de acesso, teóricas e práticas à categoria de árbitro nacional B.

4 - Caso não atinja mais de 75% nos testes referidos no número anterior, ficará mais uma época na mesma categoria, candidatando-se, novamente ao nível imediato.


Artigo 4º

Árbitro Nacional B

1 - É Árbitro Nacional B, todo o árbitro que tenha tido aproveitamento nas provas específicas, na categoria anterior.

2 - Terá que cumprir um ano neste nível.

3 - Será indicado pelo Conselho Nacional de Arbitragem, para efectuar provas de acesso, teóricas e práticas à categoria de Árbitro Nacional A, devendo para tal cumprir um mínimo de presenças a 80% das nomeações efectuadas durante a sua época de Árbitro Nacional B.


Artigo 5º

Árbitro Nacional A

1 - É Árbitro Nacional A, todo o árbitro que tenha aproveitamento nas provas específicas da categoria anterior.

2 - Deverá efectuar teste de avaliação, com um aproveitamento mínimo de 80% num máximo de 100% de pontos, caso a nota seja inferior a 80% e superior a 70% deverá efectuar uma prova oral.

3 - Deverá cumprir um mínimo de 80% de presenças nas nomeações efectuadas durante a época desportiva.
4 - O não cumprimento dos pontos 2º e 3º do artigo 5º, acarreta a descida automática à categoria de Árbitro Nacional B.

Artigo 6º

Árbitro Internacional

1 - A atribuição da categoria de Árbitro Internacional será efectuada pelas entidades FINA / LEN.

2 - A sua indicação para as provas de acesso será efectuada pela direcção da Federação Portuguesa de Natação, segundo indicação do Conselho Nacional de Arbitragem.

3 - O Árbitro Internacional deverá cumprir anualmente os requisitos do Árbitro Nacional A. O não cumprimento destas indicações implicará a sua não designação anual, para as entidades FINA / LEN.


Não sei se ajudará a esclarecer algumas das questões colocadas ou se, em vez disso, levantará muitas outras.
contactei diversos amigos, ex-colegas de arbitragem e até hje ninguém tinha ouvido falar de categorias, testes de acesso e afins. Todos acham que as nomeações e evolução de carreira depende mais de amizades do que de mérito ou capacidade. Espero que estejam enganados.
Mas tenho confiança em que a FPN melhore no aspecto de comunicação e transparência e publique o quadro nacional de árbitros, bem como os critérios que levarão a que as pessoas subam ou desçam de categoria, eliminando assim estes tipos de cometários, criticas, negativismo em relação à arbitragem.
Esse trabalho só poderá ser feito se houver uma grande ligação e cooperação com as Associações Regionais, pois será aí que os árbitros terão mais hipóteses de praticar e ganhar a experiência necessária para assumirem o controlo dos grandes jogos.
Espero ter ajudado no esclarecimento das dúvidas, ou pelo menos lançado as pedras para um trabalho a ser desenvolvido pela nova direcção!

Arbitragem

Ao ver as questões colocadas nos comentários à notícia do Eurico Silva, decidi ir pesquisar o site da FPN e procurar respostas ás questões levantadas sobre critérios, etc.

Não encontrei muitas, mas fiquei com muito mais dúvidas em relação a formação e avaliação depois de analisar o Regulamento de Arbitragem de Natação e de perceber que a informação na arbitragem de Natação e nos critérios é muito mais clara e transparente, além de aparentemente mais rigorosa e controlada que na "nossa" modalidade.
Senão, veja-se alguns extractos do Regulamento Arbitragem Natação comparando com o que existe no Regulamento de Arbitragem de Pólo Aquático e analisem:

NATAÇÃO:
SECÇÃO VI
(Formação/Classificação/ Actualização)

Artº 24º
1- O Conselho Nacional de Arbitragem da FPN define, no início de cada época, as matérias a ministrar em todos os Cursos de Formação, no respeito pelo quadro normativo em vigor.
2- Todos os Cursos de Formação terão, obrigatoriamente, uma componente teórica e uma componente prática.
3- Todos os Formadores deverão constar da Bolsa de Formadores da FPN.

Artº 25º
Os Conselhos de Arbitragem das Associações Distritais são responsáveis pela programação e realização do Curso de formação geral – Curso Elementar – dos candidatos.

Artº 26º
1- É da competência e responsabilidade dos Conselhos de Arbitragem das Associações Distritais a nomeação dos formadores dos Cursos Elementares.
2- Os exames dos Cursos Elementares são feitos a nível dos Conselhos de Arbitragem das Associações Distritais e sob a sua responsabilidade.

Artº 27º

1- O Conselho Nacional de Arbitragem da FPN é responsável pela programação e realização dos Cursos Complementares e Cursos de Árbitros Nacionais.
2 – Os Cursos Complementares serão realizados, no mínimo, uma vez por cada dois anos.

Artº 28º
1- É da competência e responsabilidade do Conselho Nacional de Arbitragem da FPN a nomeação dos formadores dos Cursos Complementar e dos Cursos de Árbitros Nacionais.
2- Os exames dos Cursos Complementar e de Árbitros Nacionais são feitos a nível Nacional, sob a coordenação do Conselho Nacional de Arbitragem da FPN.

Artº 29º
1- Os formadores dos Cursos Elementares, Complementares e de Árbitro Nacional deverão possuir formação adequada para o ensino indicado, tendo o Director de cada um desses Cursos, como formação mínima, o Curso de Árbitro Nacional.
2- Por convite dos formadores, e com a aprovação dos Conselhos Regionais de Arbitragem responsáveis pelos Cursos, poderão intervir nos mesmos pessoas de reconhecido mérito e experiência, no âmbito das matérias a ministrar.

Artº 30º
As classificações mínimas para se ser considerado "Apto" devem ser do conhecimento geral no início dos Cursos.

Artº 31º
A avaliação das provas de todos os exames é feita numa escala de 0 (zero) a 20 (vinte), com conhecimento prévio do peso relativo de cada componente (prática e teórica).

Artº 32º
As provas teóricas e práticas dos exames do Curso Elementar são classificadas pelo respectivo Júri, com conhecimento ao Conselho de Arbitragem da FPN.

Artº 33º
As provas teóricas e práticas dos exames dos Cursos Complementar e de Árbitro Nacional são classificadas pelos respectivos formadores, sendo os resultados homologados pelo Conselho Nacional de Arbitragem da FPN.

Artº 34º
Todos os formandos têm direito a consultar as suas provas, podendo, consequentemente, pedir a reavaliação das mesmas nos termos do regulamento do curso.

Artº 35º
1- No final de cada Curso, os Conselhos Regionais de Arbitragem das Associações Distritais, no caso dos Cursos Elementares, e o Conselho Nacional de Arbitragem da FPN, no caso dos restantes Cursos, farão uma classificação ordenada, que será tornada pública.
2- Após a realização dos cursos deverá ser enviado para a FPN (Sector da Formação) o respectivo relatório (modelo IDP).
3- Os resultados de todos os cursos serão divulgados através de comunicado da FPN que, em conformidade, concederá os respectivos diplomas.

Artº 36º
Após a classificação a que se refere o Artº 35º, os Conselhos de Arbitragem das Associações Distritais, no caso dos Cursos Elementares, e o Conselho de Arbitragem da FPN, no caso dos restantes Cursos, elaborarão listas, respectivamente de âmbito regional e nacional, com a atribuição de um “Nível individual”.

::::::::::
SECÇÃO VII
(Avaliação)

Artº 39º
Os Conselhos de Arbitragem das Associações Distritais e o Conselho de Arbitragem da FPN avaliam, em cada época, o desempenho de cada um dos Juízes e Árbitros, quer no domínio específico das Provas, quer como formadores, no âmbito de Formação.

Artº 40º
1- É da competência e responsabilidade conjunta do Conselho de Arbitragem da FPN e Conselhos Distritais de Arbitragem a definição dos parâmetros a serem considerados na avaliação a que se refere o artigo anterior.
2- É da competência e responsabilidade dos Conselhos de Arbitragem das Associações Distritais e do Conselho de Arbitragem da FPN a nomeação das entidades ou pessoas que realizarão a avaliação a que se refere o artigo anterior.

Artº 41º
1- Os resultados da avaliação a que se refere o Artº 39º serão tornados públicos antes do início de cada época.

POLO AQUÁTICO
Artigo 9º
Cursos de formação e reciclagem
1 - O Conselho Nacional de Arbitragem solicitará à Direcção da FPN, sempre que achar necessário, a promoção e realização de cursos, acções de formação ou reciclagem de árbitros, de acordo com as directrizes do IDP. Ou entidade que legalmente o substitua.
2 - A composição e nomeação das equipas de prelectores será sempre tutelada pelo responsável da área da formação da FPN, obedecendo aos regulamentos do IDP ou entidade que legalmente o substitua.

::::::::
Artigo 15º
Funcionamento
1 - No fim da cada época ou no início da imediata, o Conselho de Arbitragem, com a colaboração da FPN, promoverá, junto de todos os árbitros, as provas de aferição e acesso a carreira, de acordo com o disposto nos artigos 2º, 3º, 4º, 5º e 6º deste regulamento.
2 - O Conselho de Arbitragem fixará o horário e local de funcionamento, assim como a indicação do júri, constituído por 3 elementos, um dos quais será designado Presidente.

Artigo 16º
Provas Anuais
1 - Os candidatos às provas anuais serão submetidos às seguintes avaliações:
a) Provas escritas e orais (extensivas a árbitros e juízes de mesa) – prova escrita com a duração de 60 minutos, com incidência nas leis do jogo, nas questões técnicas e disciplinares;
b) Os testes orais serão sobre a mesma matéria e destinar-se-ão apenas, a todos aqueles que não consigam, nas provas escritas, ultrapassar os 70% previstos neste regulamento, e a sua duração será de cerca de 10 minutos;
c) Todos aqueles que não atingirem 50% nas provas escritas serão automaticamente excluídos das provas orais.
2 - O grau de dificuldade varia de acordo com os escalões dos árbitros.
3 - Serão considerados aprovados:
a) Na prova escrita e oral, os candidatos que obtenham nas respostas às perguntas, uma pontuação, em cada uma delas, superior a 80% dos pontos, num total de 100% (cem por cento).
4 - Serão considerados como "não aptos" os candidatos que não satisfaçam qualquer uma das condições mencionadas no número anterior.
5 - No resultado final das provas anuais será expresso "apto" no caso do candidato ter obtido aprovação e "não apto" nos restantes casos.

Posso estar enganado, mas parece-me que a natação tem as coisas muito mais definidas que o Pólo, até vendo pelo números de artigos e secções que dedicam a clarificar todos os procedimentos, em comparação com os que o pólo aquático lhes dedica.
Os formadores devem constar da Bolsa Nacional de Formadores da FPN, o que me parece lógico e normal, bem como ter formação específica para ensinar (todos sabemos que o facto de se ser um excelente árbitro ou pessoa não implica automaticamente que se seja um bom formador).
Porque isso não acontece com a arbitragem de pólo aquático?
Porque é que na natação a responsabilidade dos cursos é das Associações, com os formadores da Bolsa de Formadores, e no pólo aquático é "tutelado pelo responsável da área de formação"? O Conselho Nacional de Arbitragem serve para a natação mas não para o pólo aquático?
E tantas mais questões de me deparam ao comparar os dois pesos e duas medidas que são estes dois regulamentos de arbitragem.
Quem tem a responsabilidade nisto?
Porque na natação está tudo claro, definido, parametrizado e no pólo aquático cada um faz o que quer e os formadores são escolhidos pelo departamento de formação e não constam da Bolsa de Formadores (sim, eu fui procurar e só encontrei o Sr. José Barradas como formador).
Não acham que é na base de trabalho e com bons formadores e formações adequadas que se lançam as fundações para se criar um bom árbitro?
É fácil criticar, mas quando cada um faz o que quer e como quer, é normal que a arbitragem não tenha moralidade ou critérios claros e definidos.
Gostava que este elenco federativo pudesse trabalhar nesta área, garantindo a homogeneidade dos cursos, qualidade de formadores enquanto pessoas habilitadas para ensinar, bolsas nacionais, etc, etc.
Será possível?
Ou os maus hábitos estão de tal forma enraizados que no pólo basta saber um pouco de arbitragem que se pode ser formador?

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Eurico Silva em Budapeste

Eurico Silva está em Budapeste para cumprir a primeira fase do curso de árbitro internacional de pólo aquático da Liga Europeia de Natação (LEN).
Um prémio mais do que justo para o juiz felgueirense, filiado na Associação de Natação do Norte de Portugal, que há muito ansiava por esta oportunidade dada pelo Conselho Nacional de Arbitragem da FPN.

Numa segunda fase, o nortenho regressará em Fevereiro à capital da Hungria. O teste final realiza-se entre Maio e Junho.
Caso seja aprovado, Eurico Silva passará a ser o primeiro português com curso tirado na nova Escola de Árbitros Internacionais da LEN

Notícia publicada no Norte Desportivo de dia 14/11/2008
Parabéns Eurico e votos de boa sorte neste desafio!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Paulo Ramos apita 1/8 do LEN Trophy

Como já tinha sido previsto pelos mais atentos, o árbitro internacional Paulo Ramos foi nomeado para apitar um dos encontros dos 1/8 de final do LEN Trophy.
Ainda sem data e hora definida, sabe-se já que o encontro que irá apitar será o Beograd Water Polo Club x WC Sintez Kazan.
Paulo Ramos irá ter como colega de arbitragem o internacional israelita Marl Levin, sob a supervisão do delegado Stefan Bottlik.
Boa sorte para mais este desafio, que leva igualmente as cores da arbitragem portuguesa.

ANNP - Curso de árbitros de Pólo Aquático

A Associação de Natação do Norte de Portugal promove, este mês, nas suas instalações, um curso de árbitros de pólo aquático.

Todo o material necessário à realização do curso será fornecido pelo Conselho Distrital de Arbitragem, cabendo aos formandos uma taxa de inscrição de 15 euros.

Programa:
21 Novembro – 20h00 às 23h00
22 Novembro – 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
28 Novembro – 20h00 às 23h00
29 Novembro – 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
Notícia in site ANNP

Cartaz Curso Elementar
Get your own at Scribd or explore others: Sport

LEN - Sorteios Euroleague e LEN Trophy

Foram realizados ontem, em Budapeste, os sorteios para as competições europeias organizadas pela LEN, na vertente masculina.

Desta forma, para a ronda preliminar da Euro League, em que se encontram as melhores 16 equipas da Europa, repartidas por 4 grupos, temos:Os jogos serão realizados a:
  • 1º jogo: 19, 22 ou 23 Novembro 2008
  • 2º jogo: 13 ou 14 Dezembro 2008
  • 3º jogo: 14, 17 ou 18 Janeiro 2008
  • 4º jogo: 7 ou 8 Fevereiro 2009
  • 5º jogo: 25, 28 Fev. ou 1 Março 2009
  • 6º jogo: 21 ou 22 Março 2009

Para os 1/8 de final do Len Trophy, o sorteio ditou os seguintes encontros:
Os jogos serão realizados de acordo com as seguintes datas:
  • 1º jogo: 19, 22 ou 23 Novembro 2008
  • 2º jogo: 13 ou 14 Dezembro 2008
Aconselho a consulta ao site da LEN (Euro League, carregar aqui; Len Trophy, carregar aqui), onde podem encontrar informações detalhadas sobre cada uma das equipas que participa nestas competições, além de uma melhor visualização dos resultados dos sorteios.

Até ao momento não estavam definidos os árbitros nomeados para estes encontros, mas iremos certamente encontrar algum português.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

ANNP - Arranque dos Campeonatos Regionais da II Divisão e de juvenis

Os Campeonatos Regionais da II Divisão e de juvenis masculinos da Associação de Natação do Norte de Portugal iniciam-se este fim-de-semana.

A jornada de juvenis, que se realiza amanhã na Piscina Municipal de Paços de Ferreira, tem os seguintes jogos: Colégio de Lamas-CDUP/Liberty (11h00); Salgueiros-Paredes (12h15); Lousada-V. Guimarães (13h30); Fluvial-Gondomar (18h30); Gespaços-CPN (19h45).

A ronda de seniores do segundo escalão, que decorre domingo na Piscina do Colégio de Lamas, tem as seguintes partidas: Naval Povoense-Sp. Espinho (9h00); Gondomar-AD Penafiel (10h15); Apolos-Colégio de Lamas (11h30).
Notícia in: Site ANNP

Convocatórias Campeonato Nacional Seniores Femininos

Convocatória disponível no site FPN
Convocatória Nº 2 08 NOV

Get your own at Scribd or explore others: Sport

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Entrevista Jordi Cisneros - Espanha

Entrevista enviada pela Paula Cruz, feita ao árbitro internacional espanhol Jorge Hornillo Cisneros, mais conhecido por Jordi Cisneros.

Com várias presenças nos eventos internacionais realizados em Portugal, nomeadamente no Europeu e no Mundial realizados no Porto em 2005 e 2007, este árbitro com mais de 13 anos de experiência internacional acedeu em responder às questões colocadas e deixar uma mensagem para todos os fãs de pólo aquático.
As respostas estão em castelhano, mas penso que todos conseguirão perceber.

Entrevista Jordi Cisneros
Get your own at Scribd or explore others:

Sorteio da Taça de Portugal, Masculinos e Femininos

Sorteio dos oitavos de final da taça de Portugal masculina e das meias finais femininas, realizado a 3 de Novembro, com os seguintes confrontos:


OITAVOS DE FINAL TAÇA DE PORTUGAL MASCULINA
  • VITÓRIA GUIMARÃES-SPORTING CP
  • AQUA CLUBE PORTUGAL-PAREDES ROTA MÓVEIS
  • PORTINADO-CLUBE FLUVIAL PORTUENSE
  • CF BELENENSES-LOULETANO DC
  • AMINATA EVORA-CN AMADORA
  • CPN ERMESINDE-CNAC
ISENTOS:
  • CDUP/LIBERTY SEGUROS
  • SC SALGUEIROS
MEIAS FINAIS TAÇA DE PORTUGAL FEMININA
  • CLUBE FLUVIAL PORTUENSE-GONDOMAR C.
  • SC SALGUEIROS-CN AMADORA
Notícia in Turbogal

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Novo Layout

Para os mais distraídos, o blog mudou de "dono" há algumas semanas.

Mas como ainda recebia alguns comentários e mails que assumo serem recados para quem já cá não está, decidi adoptar um novo layout, mais ao meu estilo, sublinhado assim a mudança.
Aceitam-se opiniões e sugestões para melhorar e evoluir no estilo do blog.
Conto com a vossa participação, para que juntos consigamos fazer ouvir a opinião de todos os interessados e apaixonados por esta modalidade, com tantos anos, mas ainda tão pequenina no nosso país.
O desafio é aliciante, mas assumo que o meu tempo livre é muito limitado, daí a minha proposta para animarmos em conjunto este espaço - historia de "repartir o mal pelas aldeias".

ANNP - Reunião de árbitros Regionais

Notícia publicada no site ANNP:

Árbitros reúnem sexta-feira


Os árbitros da Associação de Natação do Norte de Portugal das modalidades de natação pura, pólo aquático e natação sincronizada reúnem na próxima sexta-feira, pelas 21h00, na sede deste organismo, com vista a preparar a nova época desportiva de 2008/09.

A ordem de trabalhos é a seguinte: apresentação dos elementos do Conselho Regional de Arbitragem (CRA), recentemente eleito; calendário; assiduidade às provas; formação; relatórios/avaliações; distribuição e uso de equipamentos.

O CRA apela à participação de todos, visando um debate profícuo e construtivo de ideias e opiniões, conducentes aos consensos e à excelência da actuação desportiva.

Filiações de árbitros

Depois de termos passado o dia 31 de Outubro, data indicada como limite para as filiações dos árbitros e oficiais de mesa que iriam actuar nos diversos Campeonatos, eis a lista que se encontra publicada no site da FPN, sem distinção entre árbitros e oficiais:

  • Ana Filipa Andrade
  • André Carmo Azevedo
  • André Filipe Martins
  • António Pedro Pombinho
  • Carlos Miguel Azevedo
  • Carolina Figueira Faria
  • Eduardo Jaime Joaquim
  • Fábio Silva Bota
  • Filipe Manuel Monteiro
  • Hélder Alberto Freitas
  • Joana Raquel Loureiro
  • João Pedro Santos
  • Joaquim José Sousa
  • Jorge Pedro Oliveira
  • José Luís Tomé
  • José Manuel Barradas
  • José Pedro Brandão
  • Luís Filipe Vieira
  • Mariana Sarmento Rebocho
  • Mário José Nunes
  • Miguel Granja Silva
  • Natália Maria Freitas
  • Paula Cristina Cruz
  • Paulo Thedim Ramos
  • Ricardo Cordeiro Biss
  • Ricardo Miguel Lobo
  • Ricardo Salazar Branquinho
  • Tiago Santos Oliveira
O que não consigo compreender, e certamente concordarão comigo, é porque é que hoje é dia 02 de Novembro e não constam nesta listagem nomes de árbitros internacionais como Luís Santos, Raúl e Luis Vital, ou de árbitros nacionais como Eurico Silva, Luís Machado, Ricardo Saraiva, Luís Alves, Soraia Crespo, etc, etc, etc.?
Será que este ano vamos assistir a mais arbitragens de árbitros que não estão filiados?
Ou vamos recorrer a árbitros recêm-formados para apitar 1ª divisão e 2ª, pois os melhores árbitros não se filiam(ram)?
Onde está a falha aqui?
Nos árbitros? Que não cumprem o estipulado?
Nas Associações ou Federação que demoram com o processo de filiação?
Tanta mudança, tanta organização e continuamos a ver que não são cumpridas as regras elementares.
Claro que o que importa é procurar soluções, alternativas, sem descurar a atribuição de responsabilidades a quem de direito.
Se um atleta tem de estar federado até ao início da época desportiva, porque os árbitros não cumprem os mesmos prazos?
Se se pretende moralizar a arbitragem, dar uma nova imagem e credibilidade à classe, porque não cumprem o estipulado em regulamento?
Seria bom definir os papeis de cada interveniente, entre árbitros, Associações e os seus Conselhos regionais de arbitragem e, finalmente, FPN e Conselho Nacional de Arbitragem.
Fico a aguardar a próxima jornada, para ver se será realizada e com quem a apitar!

2ª Jornada Campeonato Nacional Seniores Masculinos 1ª Divisão

Disputou-se este sábado a 2ª jornada do Campeonato Nacional de Seniores Masculinos da 1ª Divisão.
Ao contrário da jornada inaugural, nesta jornada todas as equipas visitantes saíram vitoriosas, nos 4 encontros disputados, ficando ainda por disputar o encontro SCS x Portinado, visto ambas as equipas se encontrarem envolvidas na 2ª ronda de Qualificação do Len Trophy.
Jogando em casa, a recém promovida formação do Louletano foi derrotada pela equipa do Paredes, no 2º encontro que esta equipa do Algarve realiza, desta vez na sua piscina.
O CDUP/Liberty assegurou, no último parcial, a vitoria no recinto do Belenenses num encontro disputado até ao último segundo.
Sem grandes dificuldades a Amadora venceu o Fluvial no seu reduto, garantindo assim o 1~lugar no Campeonato, beneficiando de melhor goal-average (e ainda com o encontro SCS x Portinado por disputar).
Finalmente, o CPN alcançou a primeira vitória desta época, em casa do Guimarães.
Todos os resultados e classificação (disponíveis em www.fpnatacao.pt):

2ª jornada CNSM 1ª D
Get your own at Scribd or explore others: Sport

1ª Jornada Campeonato Nacional Seniores Femininos

Com um campeonato constituído apenas por 5 equipas, iniciou-se este fim de semana o Campeonato Nacional de Seniores Femininos.
Num dos encontros mais disputados da jornada, numa "re-edição" da Supertaça Carlo Meinêdo, o Fluvial defrontou a Amadora, garantindo uma vitória tangencial, por 1 golo, graças ao resultado conseguido no 1º parcial.
No outro encontro da jornada, disputado no domingo, o Gondomar deslocou-se à piscina de Lousada, ganhando por uns confortáveis 4-11.
Descansou este fim de semana a equipa do Salgueiros (ex-EVS).
Resultados e Classificações (disponíveis no site FPN):

1ª jornada CNSF
Get your own at Scribd or explore others: Sport

Leiria estreou-se no Pólo Aquático

Parabéns a Leiria por esta excelente notícia:


O Distrito de Leiria foi hoje palco do primeiro encontro de pólo aquático da sua história, ao qual assistiram os responsáveis da Federação, Helena Barros, Coordenadora do Departamento de Pólo Aquático, e Pedro Brandão, secretário técnico.
O primeiro jogo da disciplina realizado na Associação foi disputado na Piscina Municipal de Leiria e opôs o Académico de Leiria (ASAL) ao Tavira Natação Clube (TNC).

O encontro realizou-se no âmbito do Torneio de Apuramento para a 2.ª Divisão e para a história fica o resultado de 24-1, a favor do Académico de Leiria.

In: www.fpnatacao.pt

Gilberto Lobo Atleta do mês FPN

É com grande orgulho que anuncio que um dos maiores atletas de pólo aquático nacionais foi eleito o atleta do mês no site da FPN.
Sempre foi uma referência para mim, enquanto fui jogador de pólo aquático, apesar de estarmos em níveis completamente diferentes.
Aqui fica a notícia:

Gilberto Lobo, pivot da equipa de pólo aquático do Sport Comércio e Salgueiros, conquistou no dia 11 a Supertaça Carlos Meinedo, o 30.º título da sua carreira, motivo pelo qual foi nomeado Atleta do Mês de Outubro.
Com 40 anos, Gilberto Lobo é capitão do Salgueiros e da Selecção Nacional, e um dos jogadores com mais internacionalizações de sempre. É o jogador mais antigo do Salgueiros e esteve presente em todos os títulos do clube.
Jogador polivalente, que consegue actuar em todas as posições, Gilberto Lobo soma no seu curriculum 13 Campeonatos Nacionais, dez Taças de Portugal, cinco Supertaça Carlos Meinedo e dois títulos de Campeão Nacional da 2.ª Divisão.
Foto: Patrícia Machado, www.fpnatacao.pt