segunda-feira, 16 de junho de 2008

Propostas aceitam-se

Ao ler este blog, e mesmo alguns outros blogs de pólo aquático, noto cada vez mais que se instaurou a moda de criticar, o que, admitamos, até é fácil!

Mas afinal, será que nós, os portugueses, somos mesmo assim?!
Gostamos de criticar… mas só por criticar!


É certo que todos temos razões de queixa de uma ou outra pessoa, clube, Associação ou Federação.
E também é certo que independentemente de as coisas correrem bem ou mal, se manterem na mesma ou evoluam... haverá sempre alguém que vai criticar, deitar abaixo, tentar destruir.
A mudança sempre foi uma coisa difícil de aceitar, mas especialmente complicada de implementar.
E é do conhecimento geral que quando se tenta implementar algo à força, sem comunicação, sem interacção – o resultado é desunião, desânimo, critica e desmotivação.

Mas uma critica pode e deve ser construtiva, apontar os erros, apresentar soluções!
Nos comentários aqui feitos, especialmente dos últimos tempos, dos quais a última votação é o reflexo, nota-se uma enorme insatisfação.
Mais que enorme, generalizada (desculpem aqueles que discordam).

Como tal, o que vos venho propor hoje é um simples exercício, em que poderão dar o vosso contributo para se mudar:
  • Indiquem o que acham que está mal no pólo aquático e na arbitragem a nível nacional e que soluções gostariam de ver implementadas.
Eu penso já ter feito uma parte, já dei a minha opinião, já fiz propostas… e vou continuar a fazer.

Mas gostava que TODOS dessem a sua opinião e, especialmente, a sua proposta de solução.
Porque criticar é fácil, especialmente para quem está de fora. Mas propor alguma solução… é capaz de custar mais um pouco.

E então, anónimos e anónimas que tanto tem contribuído para este blog, dinamizado o blog e ajudado a perceber muitas das coisas que estão mal, SENTEM-SE PREPARADOS PARA ESTE DESAFIO?
Enviem as vossas respostas nos comentários, por mail, telefone… o que preferirem.


Gostava é de sentir que não estamos num país repleto de pessoas que só gostam de criticar por criticar e que, efectivamente, há pessoas que gostavam de apresentar propostas ou soluções, ou pelo menos pensaram nelas.

Fico a aguardar!

11 comentários:

Anónimo disse...

Algumas ideias:
Maior acompanhamento após a formação inicial.
Maior e mais diálogo.
Reuniões periódicas.
Bolsa de formadores
Regulamento de arbitragem
Covocatórias sensatas
Convocatórias a nivel nacional.

Anónimo disse...

propostas:
Uma pessoa a tratar da arbitragem a tempo inteiro, que dê a cara, reúna com associações, participe nos calendários e que não esteja ligada a arbitragem e lobbys para fazer convocatórias nacionais
Reuniões periódicas
publicação de alterações e formações dadas em reuniões internacionais
Aposta clara em formação e Acompanhamento de novos árbitros
Acções de formação nos clubes
Actualização das tabelas
Avaliações de árbitros
Critérios claros e transparentes
Maior abertura ao diálogo
Formadores credenciados e a nível nacional
Respeito pelos regulamentos instituídos
tanta... tanta coisa....
mas só com quem quiser fazer avançar a modalidade e não a sua carreira - nem que seja preciso pagar a uma pessoa assim e, possivelmente, com uma pessoa assim podíamos poupar nos custos de pessoal extra na FPN

SISCU PEREIRA disse...

Boa noite

Eu vou falar de uma base que é a mentalidade.
Aqui tem o costume de se lixarem uns aos outros, sejam clubes, associações, federação, jogadores, público, treinadores, jornalistas, etc.
Isso acontece em todo lado, só que aqui é um exagero.
Existem muitas "guerras", em todas direcções, que não beneficiam ninguém, e no final é sempre a modalidade a ser prejudicada.
De certeza que há muitos miúdos que vêem e se apercebem destas "guerras" e isso não ajuda em nada a finalidade comum a todos - evoluir.
É preciso união para evoluir.
Há muitas uniões que seguramente são impossíveis, mas outras podem ser possíveis com um pequeno esforço.
Precisamos de nos ajudar uns aos outros e mudar essa mentalidade egoísta.
Não adianta andar com soluções curtas ou truques de magia.
Mudar a mentalidade pode ser uma solução para muitas coisas e acredito que há muitas pessoas válidas para trabalhar nisso.
É preciso criar uma estrutura.
Depois disso poderemos falar de melhorar o pólo em si.
Só espero ver algum dia uma evolução conjunta e acreditável.

Cumprimentos
Siscu

Anónimo disse...

concordo com o Siscu e os anónimos que já falaram.
1º tem de se mudar a mentalidade das pessoas e parar com guerras parvas e que não ajudam em nada
depois terá que se criar uma estrutura sustentada. Hoje em dia parece-me que existe uma estrutura demasiado pesada e onerosa no pólo aquático da FPN e que não há ligação entre eles.
deveria existir um coordenador da arbitragem, alguém que possa estar a tempo parcial ou tempo inteiro na FPN, que faça ligação com associações, com o departamento técnico, que coordene a formação, que coordene as avaliações, que dinamize um site dedicado à arbitragem e que tenha todas as informações, que coordene viagens e deslocações, etc.
Já foram feitas propostas nesse sentido, mas parece que é uma grande mudança e que as pessoas preferem continuar com o que está mal a aceitarem que se tem de mudar.
Concordo também com o anónimo que diz que seria importante que a pessoa responsável não tivesse interesses pessoais na arbitragem, como tem sido o caso até agora, em que todos são internacionais e se preocupam mais com eles ou família que com a arbitragem nacional.

Anónimo disse...

Concordo inteiramente com o Ciscu.
DE facto somos bastante egoístas.
Nas nossas listas de prioridades: primeiro nós, depois os nossos, seguidamente os nossos amigos e a quem devemos favores ou ficámos gratos por qualquer motivo, depois a nossa zona ou associação e acaba tudo nestas disputas inter-regionais e do celebérrimo norte/sul.
Com mentalidades destas: primeiro nós e só depois o bem colectivo e a evolução positiva do WP, de facto não vamos longe.
É preciso união e que as pessoas ocupem os cargos a pensar honestamente e sem querer agardar à sua associação ou clube de origem ou de preferência.
É mesmo uma questão de mentalidade como diz o Ciscu.
Somos pequenos e egoístas. Enquanto ganhamos pouco nos interessa que à nossa volta esteja tudo podre e a morrer.
Duvido que alguém possa pôr ordem nesta casa, aliás, espelho da nossa sociedade e que se repete por inúmeras actividades do noso quotidiano.
Sugestões:
- Quem conhece por aí alguém integro, com espírito de verdadeiro desportista, empreendedor, organizado e com amor ao WP ?
Abraços a todos
WP Observer

Anónimo disse...

já vi que para criticar e para votar contra o pessoal não hesita em participar, mas para sugerir o que gostavam ou mesmo para se disponibilizarem para fazer, isso já é outra historia.
Mas também, é a mentalidadezinha pequenina de quem anda nisto. Só sabem criticar, dizer mal, olhar para o seu umbigo, mas quando é para realmente contribuir, o que se vê é um redondo nada.
Já dei as minhas sugestões, espero que haja mais gente a fazer.
E concordo com o Siscu e com as propostas acima faladas, bem como com as que a Paula já apresentou algumas vezes.

Anónimo disse...

Caro anónimo,discordo da tua opinião,embora já tenha contribuído com sugestões.
A roda já foi inventada, os possíveis processos de melhoria estão já aqui elencados. Basta que estas sugestões sejam objecto de tratamento e leitura cuidada de forma a serem implementadas para as coisas serem de outra forma em termos futuros.
Mas por favor não com estes senhores.
Nesta direcção e porque entrou agora e tem reias conhecimentos da modalidade e pode vir a fazer um excelente trabalho é a Helena. Todos os outros já tiveram o seu tempo e nada provaram. Portanto devem ceder o lugar a outros, que tenham ideias e que sejam organizados.
Bastam apenas duas pessoas para cuidadr do polo, a Helena para a parte técnica e organizativa e outro elemento que seja remunerado, com o nome de director executivo ou desportivo para o pólo para complementar toda a organização, desde a marcação de jogos, até ao alinhamento dos árbitros, passando pela listagem e filiação dos árbitros, convocatórias e eventualmente marcação das viagens ou articulação das mesmas com as viaturas disponíveis da federação evitando gastos e controlandos custos, simples.
quanto ao problema da arbitragem, ou seja a falta de árbitros pode ser resolvida com o aumento de acções de formação nas associações, apelando aos clubes que idiquem jovens jogadoras à sua frequência e nos jogos de escalões e 2 div recorrer a esses elementos para fazerem mesa, nomeando um elemento mais velho(3ºelemento) para controlar e ajudar.
Mas volto a frizar estas pessoas que iniciaram o processo devem sair, não tentam tapar o sol com a peneira, a continuidade de um ou de outro não vai passar do mesmo. De inicio tudo bem e depois tudo mal.
Saudações
Espero que não levem a mal não me identificar por razões óbvias. No local certo e a seu tempo darei de forma aberta as minhas opiniões.

Anónimo disse...

com essas ideias todas porque ainda ninguem se lembrou de ti andas desaproveitado.e a helena o q anda la a fazer se el e boa e no banco a orientar

Anónimo disse...

Leiam a entrevista do Presidente da ANNP.

Anónimo disse...

onde está publicada essa tal entrevista ?

Arbitragemwppt disse...

foi publicada no Jornal O Norte Desportivo de 21 de Junho, mas já podes encontrar uma mensagem com a ligação para a entrevista