terça-feira, 11 de março de 2008

Visão 2003

Ao arrumar os meus papeis, descobri uma mensagem que me foi enviada em Outubro de 2003 por um jogador de pólo aquático e árbitro, que fazia um desabafo sobre a arbitragem em Portugal.

Aqui a transcrevo (ligeiramente "cortada" para retirar nomes e situações que não são relevantes), para que vejam se o problema é recente ou não:

"O sector da arbitragem tem sido fustigado desde o renascimento da modalidade em Portugal. Os cursos existem, mas reciclagens nunca foram realizadas. Primeiro seria importante perceber qual a razão que fez com que muitos árbitros se afastassem da modalidade. Com certeza por falta de motivação, falta de pagamentos federativos e, acima de tudo, por ausência de um organismo forte que protegesse os árbitros. (...) Tudo isto só demonstra falta de credibilidade e bom senso de quem manda na modalidade. O que quero dizer é que, se existirem cancros dentro do sector, estes não podem estar disponíveis para apitar, isto é, a imagem dos árbitros também tem de ser preservada. Um atleta ou treinador que tenha um comportamento anti-desportivo para com um árbitro, não reune condições para apitar.
Um dos grandes problemas da arbitragem é a falta de um criterio similar, ou seja, o que é um penalti para um árbitro do norte é expulsão para um árbitro do sul. Os atletas têm, por isso, que se adaptar à forma como o árbitro apita, qando os atletas de devem é adaptar-se à forma como as regras são. Hoje em dia os árbitros fazem aquilo que querem. Não são "fiscalizados" e por isso podem apitar da forma como bem entendem. Ninguém está a avaliar o seu desempenho.
Estas primeiras palavras são mais um desabafo.

Sugiro então algumas medidas para melhorar o sector da arbitragem:

  • Cursos de arbitragem, pelo menos uma vez por ano
  • Reciclagens anuais
  • Acções anuais de reciclagem nos clubes, com o objectivo de aproximar os atletas aos árbitros
  • Pagamento aos juizes até ao final da semana em que se realiza o jogo, via transferência bancária
  • Nomeação dos árbitros: nomear os melhores árbitros para os jogos mais importantes com, pelo menos, 10 dias de antecedência
  • Nomeações de um número de delegados para avaliar os árbitros. Esses delegados devem ser os árbitros internacionais. Um árbitro internacional que esteja a apitar deve, na mesma, ser avaliado por um outro árbitro internacional.
  • Deverá ser elaborado um relatório sobre o jogo, com a atribuição de uma nota final, que posteriormente se reflectirá numa tabela classificativa (esta classificação deve ser ponderada mediante o grau de dificuldade dos jogos)
  • Terão de ser criadas medidas penalizadoras para os árbitros que cometam erros graves num jogo, que passem pela não nomeação para jogos futuros, nomeação para jogos de menor importância, etc... (...)
  • As nomeações terão de ser mais diversificadas, dando a novos árbitros a possibilidade de evoluirem
  • Acabar com regimes de excepção. Aquele árbitro recusa-se a apitar determinado jogo - isso tem de acabar. Evidentemente que o orgão que nomeia deve evitar nomeações que possam suscitar desconfiança por parte dos clubes, devido à ligação dos árbitros com determinados clubes
  • "Apertar" com os oficiais de mesa no sentido de fazerem as actas correctamente (primeiro e último nome do atleta).
Creio que, para já, é tudo o que me lembro"

Este era o desabafo em 2003.
Alguém quer desabafar sobre 2007/2008?

13 comentários:

Anónimo disse...

Penso que essa manifestação de desagrado em 2003, encaixa perfeitamente na presente época. O que me leva a concluir que não houve qq evolução...

Não é por acaso que a modalidade estagnou a todos os niveis...

Anónimo disse...

Formação!

Assim como os técnicos e os jogadores têm mt a aprender a ver os jogos internacionais, os arbritos tb têm. E quem quer mesmo tem acesso aos jogos lá fora.

Tem que se acabar com as interpretações individuais dos arbritos do regulamento, tem que se acabar com algumas crenças, tem que se acabar com alguns...arbritos também, enfim tem que se uniformizar ao máximo os critérios de arbritagem, por que existe só um regulamento e como tal, um só jogo. Porque em cada piscina do país joga-se um jogo diferente, e isso só acaba quando todos de sentarem na mesma mesa e discutirem a uniformização de critérios.

Arbitragem WaterPolo PT disse...

acho que o teu comentário final resume o primeiro passo a fazer, que é o que se faz lá fora... COMUNICAÇÃO!
Todos se sentarem na mesma mesa (e com isso incluo os clubes) e debaterem os critérios para a época.
Desta forma é claro para todos...
É que falamos de formação, mas devemos pensar em 3 coisas interligadas
COMUNICAÇÃO-FORMAÇÃO-ACOMPANHAMENTO

Croc Dundee disse...

Acho imensa piada a isto tudo!
O email de 2003, de facto tem toda a razão de ser, mas que se pode fazer de facto?
Se suas excelências os árbitros (não todos), chegam em cima da hora, trazem a familia toda como se fossem em passeio, fazem cara de doutorados na matéria, não aceitam criticas, nem pedem desculpa quando faltam aos jogos e são confrontados com isso.
Para terminar, e sem saber de facto o que se passou na realidade, acho bem feito o afastamento do Sr Barradas e do Sr Tomé (este que apareceu de repente e subiu nas escadinhas da arbitragem, sem se perceber como nem porquê...)

Arbitragem WaterPolo PT disse...

Croc, se não sabes as razões (nem ninguém mais sabe), não me parece correcto estar a emitir opiniões sobre árbitros que foram afastados.
O objectivo aqui, como referi, não é julgar as pessoas individualmente, mas o que se passa e arranjar soluções (e por isso deixei o comentário com nomes e opiniões pessoais, coisa que não voltarei a fazer).

Quanto à tua questão sobre o que se pode fazer de facto... que tal propor um sistema de penalização para atrazos e falta de ética?
Um código de conduta e um termo de responsabilidade ética assinado no início da época, como nos USA, que vale penalizações no não cumprimento?
Que tal envolvimento dos clubes na moralização (em vez de se continuar a procurar culpados)?
Fazer com que nos clubes os treinadores e atletas sintam "na pele" a diferença de apitar da bancada e apitar um jogo na realidade?

Tens razão no que dizes sobre alguns árbitros, mas por isso mesmo é que, em vez de se dizer "que podemos fazer"... devemos propor soluções, certo?

Croc Dundee disse...

Como penalizar se quem domina a arbitragem é quem mais lesa a modalidade, com os atrasos dignos de uma modalidade atrasada.
Como dar ideias, se quem prevarica, não consegue ver que não tem razão e pedir desculpa aos clubes e atletas lesados?
As coisas não estão bem e é necessário dar uma volta, mas de facto não vejo como. Não acredito em penalizações, mas acredito que as prima donas nunca iriam pagar (de qq forma), essas mesmas penalizações.
Diriam (como dizem) que nunca receberam a convocatória...
Enfim, está tudo igual, senão pior que há uns anos atrás!
Obrigado por permitires os meus comentários!

Arbitragem WaterPolo PT disse...

Croc, os teus comentários serão sempre bemvindos - como quaisquer outros.
Só peço para não se nomearem pessoas ou entidades, para não as lesarmos enquanto individuos.
A tua opinião é importante!
E a de todos.
Por isso acredito que falando se irá chegar a algum lado :-)

Apito na água disse...

Caro Croc
Como é possivel concordares com o afastamento dos dosi árbitros se não tens conhecimento do que presidiu a esse afastamento?
Como temos muitos árbitros, conforme tu referes, então é bom afastar alguns dos que temos.

croc dundee disse...

Caro Apito na Agua, que eu saiba foram apenas afastados das listas enviadas para a LEN.
Podem sempre continuar a chegar atrasados ou a não chegar aos jogos aqui em Portugal...

Arbitragemwppt disse...

Olá aos dois (Croc Dundee e Apito na Água)
Se tem algum assunto pessoa a debater ou esclarecer... sugiro um contacto pessoal, telefónico ou mail.
Assim um pode dizer porque concorda e o outro explicar o que se passou.
Obrigada aos dois pela animada colaboração

Anónimo disse...

Relativamente a esta questão vou me pronunciar utilizando o meu nome de forma publica, colocando um ponto final nesta questão esperando igual receptividade do Croc.
A opinião do croc é pessoal, contudo desprovida de fundamento e com afirmações que colocam em causa o bom nome dos árbitros em questão e quanto a isso as pessoas devem ter algum cuidado em fazer afirmações gratuitas desprovidas de qualquer fundamento e que servem apenas para denegrir a imagem idoneidade e honestidade das pessoas envolvidas.
ao longo dos anos que estou ligado à arbitragem sempre cumpri salvo por questões profissionais de horários coincidentes com a marcação dos jogos, os respectivos horários. Por edução sempre tive o cuidado de por iniciativa pessoal, pedir desculpas e justificar os referidos atrazos. Portanto não admito a quem quer que seja que venha para estes lugares denegrir a minha imagem, apenas porque o pode fazer de forma anónima. Para o efeito estou e sempre estarei disponivel para debater qualquer assunto e aceitar qualquer critica relativa à mina actuação enquanto árbitro.
Espero que com estas breves palavras se coloque um ponto final na questão levantada. E caso o amigo croc necessite de algum esclarecimento adicional, sabe onde pode falar comigo pessoalmente, à beira da piscina.
Saudações desportivas
José Barradas

croc dundee disse...

Exmo Senhor José Barradas,

Não me vou alongar, pois não tenho pachorra para hipócrisias, e já dei demasiadas vezes para este peditório.
Queira lembrar-se de um jogo oficial, na piscina de Alvalade, em Dezembro de 2006, num dos feriados (ou o 1, ou o 8).
Um jogo entre o a equipa da casa e o Dramático.
Apenas vi um Arbitro, quanto a sua excelência (que estava escalado), nem sombra, tal como nem sombra de um pedido de desculpas, aos atletas, clube, treinadores...
Tanto foi, que o presidente da ANL teve que vir em socorro nem sei bem do quê, falar do que não sabia!
Venham-me cá agora com honras e não sei mais o quê.
Quanto à disponibilidade de falar pessoalmente, na altura não me pareceu, pois sentiu necessidade de passar recadinhos em tom de aviso.
E já que se defendem uns aos outros, que dizer do Sr Arbitro de apelido Sampaio, que ao chegar atrasado a um jogo, pergunta pelo colega que lá estava há mais de meia hora e diz " Se o meu colega ainda não chegou, vou já embora..."
Sem mais de momento, subscrevo-me atenciosamente,
Mário Vilar

Arbitragemwppt disse...

Muito bem. Agora que já estamos todos identificados, sugiro o seguinte:
O Barradas tem um blog que se chama Arbitros de Polo Aquatico.
Para não estarmos a individualizar questões ou debates pessoais, sugiro que o usem.
Gostava que este servisse para apontar o que correu mal, mas sem termos de entrar em guerras de palavras ou questões pessoais.
De acordo?
O contributo do Mário e do Barradas será importante se tivermos em conta que estamos num Blog e que cada um tem direito a ter a sua opinião pessoal - desde que não denigra a imagem dos outros directamente.
beijos aos 2