domingo, 6 de abril de 2008

Comportamento

A reflexão de hoje é sobre comportamento. ou melhor... comportamentos.

Tenho falado bastante sobre o comportamento dos árbitros, postura, ética, etc...
Mas não podemos nem devemos esquecer que os árbitros fazem parte desta modalidade que todos amamos, que é o Pólo Aquático.

Realço isto porque, em 99% dos casos, os árbitros foram jogadores ou estiveram de alguma forma ligados à modalidade, e viram "do outro lado" o comportamento para com os árbitros.
E como tal, também passaram eles próprios pela fase de "culparem" os árbitros pelas derrotas da equipa ou pelas falhas na arbitragem.
Sem esquecer que muitos são árbitros mas são ainda (igualmente) jogadores, ou treinadores, ou dirigentes... e tem duas posturas e dois comportamentos - um dentro de água ou dentro de campo... e outro como árbitros!

Mas se reflectirmos sobre o assunto... para se ter bons árbitros... devemos começar por ter bons clubes, bons treinadores e bons atletas, que saibam as regras (porque não acções de formação, formar oficiais, ...) e que reconheçam que um bom árbitro não se faz de um dia para o outro, nem basta tirar um curso para se ser automaticamente um árbitro que nunca falha!

Hoje em dia, como todos sabemos, a arbitragem atravessa um momento difícil... e claro que todas as equipas querem sempre ter os melhores árbitros existentes em Portugal (seja em jogos de 1ª ou 2ª divisão, campeonatos regionais, de escalões etários, etc...). Sejamos pragmáticos... isso é impossível.

Por isso é que acredito que, se queremos formar bons árbitros para o futuro, além de ter de haver um bom trabalho a ser feito com os clubes (divulgação dos horários de jogos de treino, calendarização de "treinos" de arbitragem com os clubes, etc.), não nos podemos esquecer do papel importante e fundamental que o treinador tem na percepção que os seus jogadores vão ter do árbitro!

Um treinador, seja de que escalão etário for, nunca é apenas a pessoa que vai dar treino e promove o desporto e a condição física. Talvez seja eu que ou idealista ou vivi noutra época e com outros valores, mas para mim um treinador é a pessoa que mostra a atitude correcta, que forma os seus atletas como desportistas e que os apoia a criar os seus valores (um educador?).

Como podemos esperar que que os atletas respeitem os árbitros, quando muitas vezes os treinadores são os primeiros a não o fazer?
Que imagem se transmite, quando um treinador culpa a arbitragem pela sua derrota?
Atenção, que não estou aqui a dizer que isso nunca tenha acontecido, ou não seja possível, ou que não existam árbitros perfeitos... mas não é a imagem que se deve transmitir.
Que respeito poderá um atleta ter pelo árbitro, quando o treinador é o primeiro a insultar a equipa de arbitragem, a comentar que este ou aquele árbitro são muito mas e que "estamos lixados"?
E como podemos formar novos árbitros se estão sobre pressão constante dos treinadores, que se aproveitam da sua inexperiência e "ingenuidade" para os pressionarem e desestabilizarem?

Eu já fui atleta durante mais anos que os que gosto de lembrar, e uma das coisas que me ensinaram (tive a sorte de ter bons treinadores e um seleccionador muito bom) foi:
"Joga com o árbitro que tens! Se é mau... vê como apita e adapta-te! Se é bom... jogas como sabes fazer!"
E mesmo que houvesse os nossos desabafos sobre perdermos um jogo porque fomos "roubadas" ou "por causa do árbitro"... estes treinadores nunca comentavam a arbitragem e SEMPRE indicaram que perdemos o jogo por não sermos inteligentes! Se perdiamos o jogo era porque tinhamos marcado menos, falhado mais... perdido a cabeça e ... procurado a "desculpa" mais fácil - a arbitragem!

E se queremos formar novos árbitros, se queremos motivar os que cá estão e ajudá-los a evoluir... temos de parar de culpar os árbitros, de os categorizar em bons e maus... e aceitar que há árbitros com mais ou menos experiência, com mais ou menos visão de jogo... mas que todos podem evoluir, com o apoio correcto! Afinal... algum jogador de pólo aquático entrou na água (sem saber nadar ou jogar) e ao final de 10 ou 12 treinos era o melhor do mundo? Ou mesmo razoável? (se conhecerem algum caso avisem, pois não conheço nenhum...)
Como podem achar que um árbitro ao fim do seu curso... não vai falhar? Não vai ter dúvidas? Até no fim do primeiro ano... Um bom árbitro (não falo de excepções)... é como um bom atleta... precisa de acompanhamento, motivação... e muito treino!

E da mesma forma que os árbitros podem e vão evoluir, os treinadores e dirigentes deviam evoluir no seu comportamento, atitudes e expressões - e dar o exemplo!
Até porque... se queremos motivar os árbitros a ir apitar jogos de treino das equipas (para que eles próprios possam treinar)... estar a insultar o árbitro ou a ter comportamentos inapropriados... não será a melhor forma de os motivar, certo?

Mesmo que "o árbitro seja muito fraco", mesmo que "ele não percebe nada do que está a fazer", mesmo que "mas anda está a aprender"... devem guardar isso para vocês... porque no final do jogo... ganha a equipa que foi mais inteligente! A que se soube adaptar à outra equipa, à táctica de jogo, a que tiver condição física, calma e... se adaptou à equipa de arbitragem.
A maioria dos jogos não se perdem pela equipa de arbitragem. Perdem-se pelos comportamentos e atitudes dos jogadores e corpo directivo... que perdem a noção de um comportamento correcto ... e com isso vai a cabeça, a calma... e o jogo (já não conseguem ver o jogo, adaptar-se... só pensam no árbitro...).

Parece fácil falar de fora (eu sei... também me "passava" com os árbitros)... mas a verdade é que... não serve de nada estar aos berros, insultar, pressionar. No caso de árbitros novos... vão desestabilizar... e apitar ainda menos convictos... no caso de árbitros com mais experiência... não é o comportamento que os vai fazer mudar - e a equipa vai ficar sem jogadores e treinadores e dirigentes...

O comportamento no campo de jogo e nos treinos é um dos factores que conduz a um bom jogo e a uma boa arbitragem.
Deve vir do árbitro... mas começa com os clubes, treinadores e dirigentes (que vão ter nos seus atletas o reflexo das suas atitudes e comportamentos).
Pensem nisso! Sei que parece ideal e idealista - mas afinal... não fazemos todos parte do mesmo desporto?

0 comentários: